quinta-feira, 13 de abril de 2017

...pelas cascatas do "Niágara" da Gardunha...

Com o colorido primaveril na sua plenitude, aproveitando o facto de estar de férias, quanto mais lhe der, agora melhor, para ver se consigo atingir os projectos que me opus  para 2017.
Sai da Lardosa, com ela fisgada, e ir visitar as cascatas muito bonitas que a serra da gardunha possui algures por ali.
A subiiiiddda foi pelo estradão da piscina de São Fiel(tanto que detesto esta subida), mas admito que constitui um excelente treino para reforçar os músculos.
É uma subida que aos poucos se vai vislumbrando a Albufeira de Santa Águeda, um espelho de água muito bonito que caracteriza a Lardosa e arredores.
Tive tentado de ir picar pelo monte, uns buraquinhos que existem, mas nunca me apeteceu lá ir, pois se não houver saída, tenho que voltar provavelmente com ela às costas.
Posto isto, vinha o prazer agora sim de descansar um pouco, permitindo circular com calma e aproximando-me do objectivo de hoje.
Através de singles, e trilhos únicos que este monte possui, desfrutar do som de água a cair, prazer, ouvir os passarinhos a cantar, e uma paisagem repleta de cascatas do "Niágara" da Gardunha.
Não conheço outra tamanha beleza por estas bandas.
Mas mal sabia eu o que me esperava!!!
Ao preparar e colocar a minha digital registar certos momentos que partilho, vai daí e não me apercebendo da breda, fiz uma ÉGUA...P...que Par......
Curioso, a foto de cima registar quase a totalidade da montada ao contrário...
Com o peso do corpo todo não tive tempo de a largar colocando todo o peso em cima do selim...
Consequência:
A força e peso foi tal, que o espigão dobrou para trás, obrigando-me a deita-lo para o lixo, e toca  a investir em virtude da segurança..
Ossos desta parvoeira, que bem podia ter sido pior.
Aproveitei para meter água nos bidons, e aí nessa fonte ver-me obrigado a abrir a mala da ferramenta, e colocar mais o nível do selim.
Depois, com este aborrecido episódio, regressei à Lardosa, um pouco por asfalto, ou pouco por terra, mas por aqui já com trilhos bem conhecidos, com excepção de circular nos mais belos singles da Gardunha, e que fizeram as delicias de quem participou na 1ª edição da ROTA DOS LAGARTOS orientados por GPS.
A foto, espelha o valente entortão que a égua me obrigou a fazer.
Uma volta simples, revoltando o baú das cascatas do "Niágara" da Gardunha, que deram num valente susto, onde cheguei a pensar em esmurrar os cromados de verdade.
Venha outra..
Boa Páscoa.
Pinto Infante

quarta-feira, 5 de abril de 2017

...objectivo, piquenique em Palvarinho...

Para esta semana tinha guardado já há algum tempo em mente, uma deslocação aos bonitos singles que o Palvarinho possui.
São umas bredas entre as hortinhas que servem de ligação entre elas, para que os seus donos facilmente cheguem aos seus pertences.
Sai da Lardosa algo apreensivo por duas razões:
A primeira prendia-se com compromissos familiares, pois tinha que regressar à Lardosa tendo que lá estar  pelo meio dia;
A 2ª menos preocupante, o chato e aborrecido vento que estava.
Até à Santa Águeda decidi o asfalto para um pequeno aquecimento; Depois pelas hortas do ti Peralta, meu avô materno subi até às Tinalhas.
Por estas bandas, é notório a agricultura caseira ter sentido as geadas na semana passada; Tudo queimado....
Uma primavera forte, e a pensar-se rica, de quando em vez, faz destas...
Tinalhas, Freixial do Campo e Juncal.
Carrega na foto:
https://photos.google.com/share/AF1QipO3nF-8iZASLEQScBWq2ridVxJ5_A0m8VXpQDxtHjm17YFOVHeOHiOstBNcsqZDhw?key=Y2liTUVTMFNFZXoyb2hjRUZ4RlpucGVRSjFOY21n
É uma das zonas favoritas de circulação, em virtude de ter por ali um sem fim de trilhos e entroncamentos muito ímpares, que quem como eu levava trilho de bordo no GPS, requer muita atenção.
Chegava ao objectivo para este dia, e como sempre alegre e contente por ver e rever este cantinho no mesmo sítio, e muito bem tratado pelos residentes.
Desfrutei da minha sandocha XL na fonte romana, e quando dei por mim, estava a pensar na dolorosa subida(coisa que gosto tanto!!!), da ponte de ferro para cima...
Desta vez, fiz o acesso a esta ponte ao invés do que costumava fazer, fazendo a subida até à estrada de Cafede.
Pedra da légua e Alcains, minha terra Natal.
Aproveitei para na terra do granito e canteiros,  registar alguns postais que vão absorver a passagem de GPS 2017.
Comi novamente, bebi uma MINE, e já só com pensamento nas obrigações familiares, tinha que regressar à Lardosa, capital das pasteleiras e do feijão frade.
Uma manhã com algum espaço de manobra, que permitiu desfrutar de trilhos há muito não percorridos...
5ª feira, se a vida permitir, haverá mais, provavelmente de estrada, pois a anual tirada Castelo Branco/N/Sr.ª de Fátima a 9 de junho de 2017 aproxima-se a passos largos e treinos dos 3 dígitos, nenhuns...
Aquele, o de sempre,,,sem travões a subir claro...
Pinto, o Infante

domingo, 2 de abril de 2017

...II clássica Idanha a Nova...

Carrega na foto:

Não que o ciclismo, ou seja, a bicicleta de estrada seja bem a minha quinta, mas o Fidalgo solicitou ajuda, e quando assim é, toca a reunir as tropas, e ajudar quem precisa.
No dia 2 de abril, a Idanha a Nova, abraçou pela 2ª vez este projecto lançado pela Associação de ciclismo da Beira Interior.
Idanha a Nova, está habituada a receber grandes molduras humanas, em torno da bicicleta. Não é novo dizer que esta zona da Beira, possui um património paisagístico e cultural invejável, assim ele seja aproveitado e explorado.
Pela 1ª vez participei, e achei engraçado esta Associação introduzir a passagem dos ciclistas na integra dentro das aldeias, algumas delas históricas da nossa zona; Exemplo disso a aldeia de Monsanto entre outras.
O nome de clássica é na essência isso mesmo.
Não fazia ideia de que apareceriam por ali umas beldades com uns aninhos em cima; Por sinal, lá por casa, existe lá uma igualzinha a uma MOTOBÉCANE da foto em cima.
Autoridades para aqui, bicicletas para ali, algumas caras conhecidas, e diria mesmo que era dia de festa, festa da bicicleta.
Um pelotão de fazer inveja à volta a Portugal. Quase 400 bicicletas circularam pelas estradas da raia, e pelos campos que "vomitam" uma beleza característica desta estação do ano.
Muito bonito.
Cada um com os andamentos que se sentia à vontade, sendo que o 1º a chegar, com cerca de 150 kms percorridos, chegou a Idanha a Nova antes da uma da tarde(vai lá vai!!!).
Uma verdadeira etapa de volta.
Quanto a mim, calhou-me com orientações do veterano Silveira direcionar os ciclistas para Salvaterra do Extremo, Monsanto e mais tarde Sr.ª da Graça.
Fui ao baú, do fardamento profissional, e lá estava ele...O apito que tantos anos me acompanhou a nível profissional.
Funcionou na perfeição, penso eu, na colaboração e ajudas.
Depois  almoço e ver chegar mais ciclistas à vila de Idanha a Nova.
Vim com sensação de dever e missão cumprida, e apesar de não ser grande adepto destas andanças, há que reconhecer a forma como tudo estava organizado.
Aquele de sempre, desta vez em regime voluntariado...
Pinto Infante

segunda-feira, 27 de março de 2017

..o compromisso da profissão...

Tinha dito presente, muito antes de saber como iam ser as previsões meteorológicas para este fim de semana.
Com o decorrer de mais um aniversário do serviço, este ano na bonita vila da Sertã, o serviço proporcionou uma caminhada abençoada por São Pedro.
Há alguns anos que não levava tamanho empeno desta forma;Nem de bike, nem de caminhada...
Água, chuva, lama e uma correria desgraçada.
Sempre acompanhado com colegas, companheiros também das bikes, em conversata fomos com orientações ao longo de 15 kms desfrutando das paisagens frescas, ainda mais neste dia, bonitas e verdejantes que esta zona possui .
O único senão, foi realmente o São Pedro não dar tréguas ao longo do percurso.
Mas ainda assim, deixo alguns postais que caracterizam esta bonita zona, que um dia destes tenho que lá voltar de bike.
Carrega na foto:
https://goo.gl/photos/GwQBnH4DShgZ87Tt7
Pinto Infante

segunda-feira, 20 de março de 2017

...em boa companhia da natureza e do Samuel...

Após uma semana desgastante a nível físico e profissional, reservei a folga para esta 2ª feira, para ir mais uma vez por aí na companhia daquela que mais gosto, e neste dia a agradável companhia do Samuel.
Todos os momentos da vida têm que ser desfrutados no momento certo.
Assim, e aproveitando o facto da Natureza nesta altura do ano nos brindar com umas cores e paisagens lindíssimas, únicas ao longo do ano, caso das sazonais cerejeiras e pessegueiros, o colorido das flores antes do fruto aparecer, é tão só, lindo.
Para este dia, existiu alguma dúvida, em consequência da forte pazada que arranjei 5ª feira na manhã desportiva, em que feito nem sei o quê, deu-me na cabeça e fui jogar futebol;
Corpinho habituado a jogar futebol, ou não, queda violenta, costelas a dentro e vamos ver o que vai dar!!!!
Daí, a dúvida na concretização desta volta previamente combinada com o Samuel.
O trilho levava-o no meu orientador de bordo.
Inicialmente algumas dores surgiram, mas com o desenrolar da volta a coisa esqueceu-se.
Disse ao Samuel que a volta seria maioritariamente plana, a rondar os 60 kms, coisa que já não acontecia há algum tempo.
Saímos pelo monte das areias em direcção à Atalaia com o objectivo de São Miguel de Acha. A Natureza hoje em dia de entrada da Primavera fez jus a esta estação.
As cores magníficas dos campos fizeram-nos companhia ao longo de todo o percurso.

Em conversata com o meu companheiro, os trilhos até à Orca eram do conhecimento dele. Depois uns pózinhos de GPS 2015 até chegarmos a São Miguel de Acha.
Aqui em vez de descermos até à ponte de São Gens pelo trilho de ligação a Oledo, como nunca tinha visitado a capelinha muito simples e bonita de Santa Catarina, as coordenadas foram nesse sentido.
Algumas surpresas de grande porte pelo caminho, mas com paisagens dignas de primavera.
Aproveitamos o facto de abrir uma cancela, para degustarmos uma bela sandocha com o sólinho de algum gado de companhia.
O resto da descida foi por asfalto como também até à remodelada terra dos Termos.
Escalos de Cima e Alcains.
O trilho levava ainda coordenadas pelas rabaças, mas como a quilometragem também sairia da proposta, a decisão foi regressar à Lardosa pela Tira calça.
Uma bela volta e BTT, em companhia, pois destas temos que fazer mais, e domingos provavelmente arranjaremos pelo menos mais um elemento.
Inscrições do GPS ROTA DOS LAGARTOS" a chegarem à meia centena.
Aquele, o de sempre.
Tira as mãos do travão, a subir claro...
Pinto, o Infante
Orientem-se

segunda-feira, 13 de março de 2017

...Inscrições passeio btt ROTA DOS LAGARTOS 2017...

Olá a todos/as:
Chegou mais uma vez o dia de lançar os dados para a mesa e propor a quem queira fazer parte das coordenadas 2017, saber dos pormenores.
Assim, e além de a partir de agora TE poderes inscrever, passo a descrever algumas informações que me parecem úteis:
Passeio orientado por GPS;
57 Kms em autonomia;
O trilho envio sábado dia 13 de maio para o Email que disponibilizares;
Concentração dia 14 de maio na Lardosa em frente às piscinas;
Briefing;
Saída 1ª equipa 08H50´;
Abastecimento sólido;
Lavagem de bikes;
Banho;
À semelhança das cinco edições, só almoça quem quer, sendo que existe uma parceria com um restaurante da Lardosa, por um preço mais económico;
€5 bikes(a pagar no dia);
As inscrições podem ser feitas a solo, ou em equipa;
Proponho-VOS mais uma vez um passeio com paisagens bonitas e com novas coordenadas, como habitualmente;
As inscrições ou informações são através do Email:
 pintoinfante68@gmail.com
Orientem-se e apareçam num diferente passeio btt.
Um pequeno álbum que contém postais de passagem para dia 14 de maio de 2017.

A altimetria:
Orientem-se em equipa ou a solo.
Pinto Infante

quarta-feira, 8 de março de 2017

...tinha que lá voltar, 15 de maio 2016...

De vez em quando, adoro colocar a mochila às costas, sandes XL proporcionais ao corpo, água nos cantis, e na companhia da minha preferida, ir por aí...
3ª feira dia 6 de março de 2017 tinha combinado comigo próprio ir fazer uma destas.
Este tipo de voltas serve como aquilo que considero, uma das melhores terapias que existe.
Além da companhia da grossa, GPS levo também num dos ouvidos os "esparvoados" da rádio Comercial que vão para ali alegrando a malta que a ouve.
As previsões meteorológicas apontavam para subida das temperaturas, e assim foi. De manhã, a opção do trilho como pensado, foi descarregado para o meu orientador de bordo. Decidi fazer a saída da Lardosa, capital do feijão frade e das pasteleiras pelo canal 24, ou seja o caminho dos moleiros em direcção à Soalheira e depois apanhar em Louriçal a estrada da Oles.
A subida até ao alto fiz por asfalto pensando ainda depois ligar os castanheiros até à rota dos lagartos, versão 2016.
Nã. Continuei até São Vicente. Ali apanhei a rota não chegando ao bonito espaço da Sr.ª da Orada, virando à esquerda numa ruela esbarrando no cemitério.
Depois, bem depois foi desfrutar  dos soberbos singles de São Vicente da Beira.

A xl degustei perto da Escola; Iniciei a descida até à barragem do Pisco, e ao longe avista-se a casa senhorial do Padre Sarafana, agora totalmente recuperada, ao nível de um sonho de qualquer um; Muito bem restaurada.
Sobral do Campo, Ninho do Açor e até às Tinalhas decidi meter as "patas" e à procura de buraquinhos, fui ao charco.
Nada de preocupante, visto as temperaturas serem de primavera. Por falar em primavera, se tivesse levado os calções com certeza sabiam bem, e melhor do que as calças de inverno.
Barragem de Santa Águeda/Marateca e Lardosa.
Uma volta de folga de banco, que me soube maravilhosamente bem recordar e pedalar pelas faldas da Gardunha.
Muitas destas.
_______________________________________________________
Adianto, que as inscrições para a o passeio BTT"ROTA DOS LAGARTOS" ORIENTAÇÃO POR GPS, Lardosa, abrem dia 13 de março.
Brevemente, todos os pormenores.
Pinto Infante